Skip links

O que limpa, pode sujar. Maria: de dona de casa a empresária consciente. Entenda!

Conheça a história de Maria

Maria é uma mulher muito simpática e querida por todos. Sempre muito alegre e sorridente, adorava tanto lavar as roupas da sua família que fazia isso cantando e com muito amor.

Ela sempre foi muito antenada e inteligente e percebeu que poderia fazer renda extra com o que ela tanto gostava.

Não demorou muito para que toda a vizinhança pagasse para Maria lavar suas roupas, já que ela tinha o dom, e deixava as roupas limpas, macias e cheirosas. O que Maria não esperava era o tamanho de seu sucesso,chegando ao ponto dela ter de parar de lavar suas próprias roupas em casa.

Foi aí que Maria percebeu a grande oportunidade que tinha em mãos e abriu sua própria lavanderia. Junto dela e do amor que colocava em seu trabalho, o resultado foi um sucesso! Em poucos anos nossa personagem tinha uma rede de lavanderias que avançou a todo o território nacional.

 

 

 

 

Ao perceber a importância do seu negócio, Maria chegou à conclusão de que deveria entender mais sobre seu produto e sobre as propriedades dele. Foi então que descobriu que apresentava algumas consequências ruins ao meio ambiente.

Maria fez uma pesquisa e descobriu que quase todos os produtos que ela usava na lavanderia poluíam diretamente o meio ambiente. Todos os tipos de sabão, detergentes e amaciantes, quando são lançados em rios e lagos, acabam alterando o pH da água, destruindo a vida de peixes, plantas e animais que vivem próximos a esse ambiente.

Ela ficou bastante preocupada e com medo de que seu empreendimento prejudicasse tanto pessoas quanto animais. 

Que tipos de substâncias uma lavanderia utiliza?

As operações de limpeza, tingimento e acabamento na indústria têxtil são grandes consumidores de água.

Os processos dentro de uma lavanderia industrial utilizam:

Compostos orgânicos:

  • amino (derivado do amoníaco);
  • dextrina;
  • gomas;
  • graxas;
  • pectinas;
  • álcoois;
  • ácido acético;
  • corantes;
  • sabões;
  • detergentes

Compostos inorgânicos

  • hidróxido de sódio;
  • carbonato;
  • sulfato;
  • cloreto.

 

Litros de água na prática

O beneficiamento das confecções de jeans realizado em escala industrial consome aproximadamente 40 litros de água por peça.

Isso significa que…

A demanda do consumidor leva ao desenvolvimento e a pesquisa de novos reagentes, processos e técnicas, deixando o ambiente a mercê de vários tipos de poluentes.

 

Como pode ser o processo de evolução de efluentes para as lavanderias? (lembrando que você não precisa ser expert em cada um deles, mais sim contratar alguém que se preocupe com o seu resultado)

 

  1. No início do processo de tratamento de efluentes, toda água utilizada na lavanderia passa pela peneira para a retirada de pedras e fiapos e, quando todas as máquinas estão trabalhando devido à elevada, parte do efluente líquido vai para um reservatório para depois passar pelo processo de peneiramento. As peneiras tem o objetivo da remoção de sólidos normalmente com diâmetros superiores a 1 mm, capazes de causar entupimentos.
  2. Depois da peneira, a água passa para a caixa de areia ou desarenador, isso para que ocorra uma melhor sedimentação da areia. Existem, dois decantadores de areia para que quando um estiver sendo limpo o outro continue funcionando e, assim continue o processo.
  3. Da caixa de areia a água vai para o tanque de homogeneização, onde adiciona-se cal hidratada que tem por função aumentar o valor do pH, em média de 6,5 para 9 a 10. A dosagem da cal hidratada para aplicação depende do pH na água afluente ao tanque.
  4. Do homogenizador a água vai para o floculador, onde recebe sulfato de alumínio ferroso, que tem por função juntar as partículas maiores e formar os flocos. Falamos da floração, estágio que separa o lodo (a parte sólida que resta do do processo) da água quase pronta.
  5. Dos decantadores secundários o efluente passa para a caixa de saída onde ocorre a sedimentação de partículas sólidas, passando para a caixa de vazão onde a mesma é medida.
  6. Após passar pelo processo de tratamento parte do efluente líquido é reaproveitado.

Para o reuso, o efluente passa por um filtro para a retirada de partículas e vai para um reservatório.

Do reservatório a água é bombeada para uma caixa.

 

Geralmente, 50% de todo o efluente pode ser reaproveitado no reinício do processo de lavagem de roupas. 

 

A HISTÓRIA DE MARIA CONTINUA…

 

Maria procurou alguém que se preocupasse, assim como ela, com o meio ambiente e conheceu a Werjen. Instalou a ETE compacta em cada unidade de sua lavanderia. Agora toda a água usada nas lavanderias da Maria em vez de serem apenas lançadas no meio ambiente, são tratadas, e o melhor: ela pode reaproveitar a água na própria lavanderia.

Maria é evoluída. Nós gostamos de evolução. Neste caso, o resultado foi que Maria além de colaborar com o uso do planeta, diminuiu seus gastos com água.

Sabemos que aos poucos podemos sim mudar o planeta. É para isso que existimos, e não vamos desistir de fazer o BEM.

Deixe seu comentário

Name

Website

Comment

× Whatsapp