Skip links

ESTRACTA

O PROCESSO DE FLOTAÇÃO EVOLUÍDO PARA UM NOVO CONCEITO!

Tratar um efluente de baixa vazão agora é simples!

Pequenas indústrias sofrem para tratar seus efluentes, usam sistemas convencionais como lagoas, decantadores ou sistemas que usam caixas d’água, são reféns de processos que demandam grande mão de obra e custos elevados. Esses processos são ineficientes, não contínuos e não conseguem realizar um tratamento adequado, estando à margem da lei e desrespeitando o meio ambiente. As empresas que não possuem tratamento são obrigadas a enviar seus efluentes para empresas especializadas, elevando cada vez mais os custos. Em ambos os casos, se acredita que para ter um tratamento com alta tecnologia é preciso ser uma grande empresa, ou investir altos valores.

É objetivo da Werjen levar tecnologia acessível a todos. Por isso desenvolvemos um equipamento revolucionário, aplicando tecnologias antes vistas somente em grandes equipamentos, aplicadas agora em uma unidade compacta, a qual chamamos de Estracta.

A Estracta entrega a mesma eficiência dos equipamentos de grande porte, em um único skid, com uma área menor que 2,5m2, absolutamente pronta para operar.

Como funciona

O sistema empregado na Estracta leva em consideração as mesmas etapas de grandes estações de tratamento, ela utiliza tecnologia de flotação (veja aqui como funciona o processo de flotação), que acontece por meio da inserção de microbolhas de ar dissolvido e produtos químicos no efluente, levando as partículas contaminantes à superfície em minutos, (ao contrário da decantação, que levam horas), sendo removidas por um raspador. Todas as instalações e interligações chegam prontas para operar, e é possível utilizar uma série de periféricos, projetados de acordo com as características de cada efluente e normativas a atender, tornando o clarificado adequado para o descarte.

Aplicações

O processo de flotação por ar dissolvido é hoje amplamente empregado nos diversos ramos da indústria por ser um dos mais econômicos e efetivos processos na redução da DBO, O&G, SST e na remoção de contaminantes.

Alguns dos segmentos que já utilizam a Estracta são lavanderias, cervejarias artesanais, laticínios, indústrias de alimentos, fábricas de sucos, e etc.

Além de permitir que a sua empresa atenda as normativas vigentes que são pertinentes ao correto descarte dos resíduos líquidos do processo de fabricação, vai auxiliar na tendência de consumo e produção consciente, sem falar na redução de mão de obra e insumos.

Entre os componentes presente no skid, estão: bomba de alimentação, preparador de produtos químicos, misturadores hidráulico e estático, bomba dosadora, gerador de microbolhas, tanque de flotação e quadro de comando, tudo isso instalado e pronto para usar!

A Estracta possui um amplo conjunto de componentes periféricos que atendem qualquer características de efluente gerado e dentro da normativa exigida em cada local. Esses componentes podem ser: medidores de vazão, peneira, filtros, biológico e desidratação de lodo, que também podem ser fornecidos pela Werjen. Mas será a Estracta a responsável pela remoção da maior parte poluidora, as demais etapas do tratamento são complementares.

Periférico

  • Peneira estática
  • Caixa de Gradeamento.
  • Tanque de equalização
  • Correção de pH
  • Filtros
  • Desidratação por BAG
  • Biológico
  • Medidor de vazão

Eficiência média da Estracta Físico - Químico

Para o correto descarte de seus efluente dentro da normativa, nossa equipe e engenheiros está pronta para lhe atender. Você precisa ter em mãos algumas poucas informações, como: vazão, análise do efluente bruto e a normativa vigente que norteiam quais os periféricos necessários para atender as necessidades do seu empreendimento.

O que é a Flotação? Chegou tarde no Brasil, mas chegou!

A Flotação é um processo considerado moderno no Brasil, mas já utilizado em grande escala em todo o mundo no tratamento de efluentes industriais.
A técnica que utiliza ar dissolvido vem sendo utilizada desde 1920 na indústria de papel e celulose e após a segunda guerra mundial, ganhou escala em outros segmentos.

Enquanto a sedimentação é basicamente o ato de separar, por meio da gravidade, os sólidos sedimentáveis que estão contidos em uma solução líquida, a Flotação é a operação inversa. Com ela separa-se a fração sólida de sedimentos ou resíduos, da fase líquida, por ascensão.

Atualmente, a técnica de Flotação por ar dissolvido virou a queridinha entre especialistas, sendo utilizada em grande escala na indústria, principalmente pela sua capacidade de remoção de carga orgânica, (DBO), sólidos em suspensão, óleos e graxas, etc.
A técnica funciona basicamente injetando micro bolhas de ar no efluente a ser tratado. Quando as micro bolhas são inseridas no efluente a fração sólida de resíduos se aderem à elas e então sobem para a superfície, formam uma espécie de espuma concentrada conhecida como camada de lodo, e podem então ser facilmente removidas da água.
O resultado do processo, além de um efluente clarificado com menor carga, temos a redução de químicos e ao benefício de um processo compacto e estável.

Saiba Mais

Flotador por ar dissolvido – Sistema WAd

O sistema WAd inclui no processo de Flotação a recirculação do clarificado. O efluente a ser tratado é combinado com um fluxo de água recirculada, saturada de ar dissolvido pelo WAd, de forma continuada.
No vaso de saturação as micro bolhas de ar se expandem e ao entrar no tanque de flotação elas agregam-se às partículas de poluentes suspensos e flotam para a superfície.

Aplicações

O Flotador pode ser usado como pré-tratamento, em sistemas secundários, tratamento de água, ou recuperação de matéria prima, em processos como recuperação de óleos emulsionados, efluentes de curtumes, lavanderias, matadouros e frigoríficos, petroquímicas, fábricas de celulose e papel, laticínios, processamento de frutas e vegetais, indústrias têxteis, indústrias químicas, indústrias de alimentos, tratamentos e reciclagem de água, ETA’s , etc.

Vantagens

Por conta dos processos descritos acima é que o Flotador industrial pode ser instalado em empresas de diversos segmentos industriais. É preciso saber que a instalação não exige grandes obras civis, sem com isso perder a eficiência. Destacamos ainda outras vantagens:
⦁ Elevada eficiência na remoção de cargas e sólidos, superior a 90%


⦁ Redução de 20% no consumo de produtos químicos (coagulantes) utilizados tipicamente em processos de decantação
⦁ Não exige o período de maturação comum em sedimentadores
⦁ Permite que quantidades maiores de água possam ser tratadas em menor tempo, comparando com estações comuns
⦁ Maior concentração de lodo (de 2% a 5%). O volume é 10 X menor que a decantação
⦁ Dispensa o uso de adensador
⦁ Menor área ocupada, cerca de 5 a 7 X menos espaço que a decantação
⦁ Sistema contínuo e automatizado, com menor custo operacional
⦁ Operação estável
⦁ Tempo de detenção do Flotador: de 08 a 30 minutos X Decantador: de 1 a 3 horas

Saiba Mais

Como funciona o flotador?

O efluente equalizado pode receber ou não adição de produtos químicos pelo processo de coagulação e floculação, nos misturadores estáticos e hidráulicos, posteriormente recebem um percentual de micro bolhas gerados no vaso de saturação WAd e imediatamente essa mistura é dispersa no reservatório de flotação.
Como os agentes poluidores flotam, a água clarificada passa através de um separador e é canalizada para fora da unidade, já o lodo é removido da parte superior por intermédio de um raspador.

Flotador Circular X Retangular

Atualmente o modelo em uso mais difundido no Brasil é o Flotador Retangular. Esse uso em escala criou o pensamento coletivo de que esse sistema é mais adequado. Mas o que determina a eficiência deste sistema é sua área superficial em m2, ou seja, a forma construtiva não influencia nos resultados.

Se compararmos o espaço necessário ocupado para instalar um flotador retangular e um flotador circular, onde ambos possuem a mesma área superficial, se percebe o grande benefício do modelo com mais conhecimento embarcado.
Em outros países, o modelo mais utilizado já é o flotador circular há anos.

Nos dois esquemas abaixo é possível entender o funcionamento de clarificação do efluente desde sua entrada no Flotador, até a saída da água. No primeiro esquema o Flotador Retangular inicia seu processo com uma grande desvantagem que é a longa área que o efluente precisa vencer para chegar até a superfície e ser coletado, devido ao alto turbilhamento na entrada, é necessário um reservatório de maiores dimensões, esse efeito causa a quebra dos flocos, diminuindo a eficiência e prejudicando o resultado final, ou seja, acontece o arraste do efluente para o clarificado. Muitas vezes é preciso aumentar a dosagem de produtos químicos para compensar esse arraste, e ainda assim o resultado não é o mesmo do tanque circular.
Pode acontecer também a decantação do lodo no fundo do reservatório em sistemas retangulares, o que é um grande erro, já que o Flotador deve eliminar o lodo que flutua na superfície e não decantar.
Outra desvantagem do tanque retangular é a elevada altura, enquanto o tanque circular é mais compacto e consegue entregar a mesma área de superfície, como é possível observar na imagem abaixo.

Saiba Mais

Conheça também nossos outros Flotadores:

Quer falar com um de nossos especialistas?

Vamos conversar agora.

× Whatsapp