Skip links

Desidratação de Lodo

O PROCESSO DE FLOTAÇÃO EVOLUÍDO PARA UM NOVO CONCEITO!

Desidratação de Lodo

O lodo na estação de tratamento são todos os resíduos resultantes de diversos processos de tratamento, sejá de água efluente industrial ou esgoto. Nele estão contidos nutrientes, matéria orgânica, patogênicos, óleos e gorduras e produtos químicos.
O Lodo muito vezes ainda é encontrado em sua maioria composta por água que pode ser o próprio efluente.

O lodo gerado em uma estação de tratamento seja ele no tratamento de água, efluente industrial ou sanitário geralmente ainda é composto na sua grande totalidade por água.

Para a correta disposição do lodo de forma a reduzir os custos de transportes é necessário desidratar, ou seja remover a água do lodo, desta forma reduzindo seu volume signitivamente para o transporte. Para essa função existem diversas tecnologias e aplicações que devem ser analisadas, pois elas demandam gastos com energia, produtos químicos e mão de obra.

Decanter

Nesse processo o lodo é bombeado para a centrífuga decanter, no caminho ele recebe adição de polímero. O decanter separa os sólidos da água pela ação da força centrífuga, pois possuem pesos específicos diferentes, isso gera no interior do equipamento duas camadas, sendo uma de líquido e outra de sólidos, que posteriormente são removidos. O decanter possui uma infinidade de aplicações e opera de forma contínua.

Muito importante salientar que o decanter é um componente da desidratação de lodo, para um funcionamento satisfatório a centrífuga deve ter sua dimensão, rotação, comprimento e diâmetro do tambor dimensionados para o volume, quantidade de sólidos e características de cada processo, assim como a redução da helicoide interna.Os demais periféricos como, as bombas de alimentação com ajuste de vazão, o sistema de preparo e dosagem de polímero indicamos o uso de UAP (LINK), as bombas dosadoras de polímero com ajuste de vazão, o misturador estático para a correta mistura de lodo e polímero, o quadro de comando com a automação, complementam o sistema de desidratação de lodo por centrifuga decanter. Todo o local aonde será instalado deve ser estudado e preparado para que o equipamento possa despejar o lodo já em uma caçamba ou rosca transportadora, possua ainda alimentação de água para a higienização e esteja preparada para a remoção dos componentes e manutenção quando necessário.

Filtro Prensa

O filtro prensa é um equipamento amplamente utilizado em diversas estações de tratamento devido ao seu custo benefício, nele o Lodo é bombeado em alta pressão para o equipamento que por sua vez consistem em um conjunto de placas formadas de tecido filtrante, o líquido transpassa o tecido e os sólidos ficam acumulados entre as placas e posteriormente prensados. Esse processo é muito eficaz para determinados tipos de efluentes e entregam uma eficiência de deságue excelente.

Prensa Parafuso

Uma alternativa moderna ao deságue de lodo é a prensa, nela o efluente recebe a dosagem de polímero e o fluido segue para o interior do equipamento, onde gira um parafuso sem fim em baixíssima rotação, este parafuso é cercado de placas ou chapas perfuradas, que permitem apenas a passagem do líquido. O sólido é prensado na extremidade oposta do equipamento onde é eliminado. As vantagens deste equipamento é seu baixo custo, e operação de forma continua, operando com baixíssimo consumo de energia e manutenção. As aplicações para esse processo devem ser consultadas.

Secagem de Lodo

Mesmos após a desidratação do lodo, o material ainda apresenta determinada umidade, o que num volume expressivo apresenta elevados custos, para por exemplo o transporte, uma alternativa para isso é a secagem térmica deste material através de Secadores. Este equipamento transfere calor para o lodo já desidratado promovendo a evaporação da água residual resultando em uma matéria sem umidade. O custo deste equipamento limita sua instalação em processos que possuem elevada geração de lodo por hora assim resultando em um payback satisfatório com altos teores de secos.

Diferencial Werjen

Muitas são as opções e tecnologias disponíveis no mercado, o que muitas vezes acaba até mesmo confundindo o cliente. A escolha desta tecnologia que pode atender seu empreendimento deve levar em consideração o tamanho da sua instalação, orçamento, mão de obra e volume de lodo.

Sendo assim a Werjen estuda juntamente com o cliente qual a melhor tecnologia de desidratação de lodo é indicada para seu processo, e inclui juntamente todos os periféricos necessários para que o processo de desidratação do lodo possa ocorrer com excelência na obra.

Não basta apenas adquirir o equipamento “X”, em todas as situações apresentadas existem periféricos e processos paralelos que se não analisados podem causar um colapso, gastos excessivos de forma contínua.

Em nossa jornada já nos deparamos com diversos tipos de equipamentos jogados pelos cantos das fábricas quando visitamos alguns clientes, pois simplesmente não funcionaram no processo a que foram destinados. Por isso, nosso papel de auxiliar na escolha da tecnologia de deságue de lodo é tão importante, pois além da economia gerada com a correta seleção o resultado será mais efetivo.

Quer falar com um de nossos especialistas?

Vamos conversar agora.

× Whatsapp