Coagulação e Floculação

 

Aprenda porque é preciso unir antes de separar no tratamento de efluentes!

 

 

 

Um efluente que precisa ser tratado, aparentemente pode ser visto como um líquido homogêneo e uniforme, só percebemos que possui uma carga poluidora devido sua cor. Mas dentro dessa massa líquida existem diversos elementos individuais, muitas vezes microscópicos.

Realizar a separação de elementos tão pequenos não é simples, e é neste momento que utilizar a técnica de coagulação se torna eficiente. Em outras palavras, coagular é o mesmo que unir. As partículas poluidoras são carregadas negativamente (ânions), assim a coagulação é uma operação responsável por desestabilizar o meio aquoso e gerar íons positivos (cátions), e como sabemos, os opostos se atraem, fazendo as partículas unirem-se em conglomerados cada vez maiores, elas se aglutinam.

Com partículas maiores é possível aplicar outros processos, dando sequência ao tratamento do efluente.

É nesse momento que a floculação entra no processo. Ela ocorre imediatamente após a coagulação, quando as partículas estão eletricamente desestabilizadas (coágulos), de modo a formar outras partículas ainda maiores, denominadas de flocos. Ao conseguirmos flocos podemos então separar as impurezas.

Podemos realizar a decantação, utilizando a gravidade para estabilizar essas partículas maiores no fundo do líquido ou o oposto, adicionando o processo de flotação, que faz as partículas subirem até a superfície.

Resumidamente podemos dizer que a Coagulação forma coágulos e a floculação une os coágulos, formando os flocos.

Essas etapas são processos físico químicos e ocorrem uma em sequência imediata da outra, são fundamentais para o início do tratamento de efluentes industriais e demandam cerca de 40%

do custo total, de tal forma que saber as medidas de cada químico é fundamental.

Como economizar com os químicos?

A economia se dá com o acerto da dosagem. Para isso é preciso descobrir qual tipo de coagulante e floculante utilizar para cada tipo de efluente, também controlar o tempo de mistura e, naturalmente, a quantidade de cada químico a ser aplicada na solução.

É possível realizar um teste em pequena escala para determinar esses valores, é o chamado Jar Test.

A Werjen possui diversos equipamentos para realizar a coagulação e floculação. Saiba mais sobre esses processos acessando aqui!

Categorias

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter

Veja também!